Voltar | Home / Mídia / acr arquitetura aposta no design biofílico em clínica diagnóstica de São José do Rio Preto.

acr arquitetura aposta no design biofílico em clínica diagnóstica de São José do Rio Preto.

acr arquitetura aposta no design biofílico em clínica diagnóstica de São José do Rio Preto.

20 de junho de 2018

A adoção de elementos naturais e recursos arquitetônicos podem proporcionar o sentimento de bem-estar, melhorar o desempenho e inspiração dos colaboradores no local de trabalho. Essa visão, que reforça a discussão sobre a psicologia no trabalho e nos escritórios do futuro, na verdade, destaca a tendência do design biofílico, que ajuda a resgatar a conexão homem-natureza. Biofilia significa amor (philia) à natureza (bio).

 

O termo foi popularizado pelo biólogo e professor da Universidade de Harvard, Edward Osborne Wilson, em 1984, num livro com o mesmo nome, publicado pela Harvard University Press. Nele, o estudioso descreve a biofilia como uma tendência natural do ser humano em voltar sua atenção para as coisas vivas: é a relação genuína entre o homem e a natureza e a necessidade de estar sempre conectado a ela.

 

Hoje em dia o design biofílico vem sendo aplicado em prédios corporativos, hospitais e escolas buscando criar ambientes modernos, que satisfaçam os funcionários e os ajudem a se sentir mais motivados. Apple, Google e Amazon, entre outras startups, são empresas que exploram o design biofílico no local de trabalho. Um bom exemplo na área da saúde é o Hospital Khoo Teck Puat Hospital, em Cingapura.

 

O uso do design biofílico em ambientes de saúde podem promover o bem-estar do paciente ajudando-o no processo de cura

 

O design biofílico foi alvo de pesquisa pela Fundação Robertson Cooper, instituição americana especializada em bem-estar. Os resultados mostraram que a presença de elementos que remetam à natureza em qualquer ambiente de trabalho impacta na produtividade, na criatividade, na motivação, na felicidade e no bem-estar. Imagine usar esse recurso em um espaço de cura e de atendimento à saúde?

 

Algumas instituições vêm apostando nisso. A revista Medical Construction & Design, em um artigo publicado em abril deste ano, constatou que “a exposição a elementos naturais, seja diretamente da natureza, seja de suas interpretações, auxilia no processo de cura dos pacientes, pode reduzir o estresse e melhorar resultados, como o alívio da dor”.

 

Tais resultados já foram comprovados, na década de 1980, por Roger Ulrich, professor de arquitetura e arquitetura paisagística, talvez o mais citado e influente pesquisador de design de saúde. Em um estudo científico, ele percebeu que pacientes que tinham janelas no quarto com vista para natureza tendiam a ficar menos tempo no hospital, tomar menor quantidade de medicamento para dor e demandar menos das enfermeiras.

 

Portanto é de extrema importância projetar um espaço de saúde que proporcione a sensação de paz, oferecendo não apenas um ambiente bonito e agradável, mas principalmente de acolhimento.

 

acr investe em imagens da natureza garantindo a sensação de relaxamento e acolhimento

 

E foi o que a equipe da acr arquitetura fez para seu novo cliente, a Unique Medicina Diagnóstica e Preventiva, que abriu as portas de seu negócio no último 18 de junho, na cidade paulista de São José do Rio Preto. Localizada num prédio de 4 andares, que somam 4 mil metros quadrados de área, o centro de diagnóstico oferece exames de imagens, como ressonância magnética, tomografia, medicina nuclear e ultrassom, e de análises clínicas.

 

Em 60 dias, a missão da acr arquitetura foi ambientar e enriquecer o projeto de arquitetura. Para que tudo funcionasse perfeitamente, o primeiro passo da equipe da acr foi se inteirar por completo do negócio do cliente para escolher as melhores soluções, pois a eficácia do projeto depende de intervenções que estejam conectadas e integradas no ambiente geral – não podem ser ações isoladas.

 

A acr apostou, por exemplo, em móveis desenhados sob medida pela Santé Mobiliário Hospitalar, priorizando a ergonomia e o conforto das pessoas, e painéis de madeira para “aquecer” os ambientes.

 

Mas o grande diferencial do projeto foi mesmo investir no design biofílico, trazendo a natureza para dentro do centro de diagnóstico. Imagens de árvores, plantas, flores e animais, entre outras, foram escolhidas para influenciar positivamente no humor das pessoas.

 

Conceito aplicado com sucesso!

 

Top