Voltar | Home / Mídia / Benjamin, a Padaria: novo desafio para acr arquitetura

Benjamin, a Padaria: novo desafio para acr arquitetura

Benjamin, a Padaria: novo desafio para acr arquitetura

29 de novembro de 2017

Em 2017, a acr arquitetura estreou no setor varejista contribuindo com a expansão da Benjamin, a Padaria, trazendo na bagagem toda a sua expertise em arquitetura de redes na área da saúde. Apostando em processos diferenciados de gestão para transformar o tradicional negócio em uma rede nacional, Abílio Diniz e Jorge Paulo Lemann vão colocar 500 lojas em operação em todo o Brasil até 2020.

 

Atualmente, 15 unidades estão em funcionamento na capital paulista. Dessas, 6 foram projetadas pelo nosso escritório: Pamplona Carrefour; Pamplona-Paulista; Pinheiros; Bandeira Paulista; Consolação e Santa Cruz. Viramos o ano trabalhando em mais 4 endereços.

 

Porém, antes de desenhar os novos projetos, foi preciso ouvir atentamente a demanda do cliente em relação às padarias já inauguradas, pois ele entende o business como ninguém e traz informação da concorrência. Houve, então, a necessidade de lapidar a identidade da rede, que envolveu acabamento, padronização, comunicação visual e sinalização, rejuvenescendo a marca.

 

O conceito da sustentabilidade também foi incluso nessa nova fase, isto é, existe a preocupação de gerar o mínimo de resíduos, economizar água e energia e contar com bicicletário nas unidades de rua.

 

Localização, formatos e tamanhos da Benjamin, a padaria

 

Após identificar o potencial da região, encontrar um espaço para locar e mensurar a quantidade de clientes a ser atendida, é definido o tipo de loja: de passagem (que pode ter de 70 m2 a 150 m2 de área) ­ ou híbrido (que varia de 150 m2 a 250 m2 de área). Há também a opção quiosque (cuja área vai de 10 m2 a 70 m2), prevista para ser instalada em shopping centers.

 

As padarias de passagem são estabelecidas em regiões comerciais, em que as pessoas trabalham ou estão em trânsito, indo de um bairro a outro. Já as híbridas recebem tanto os moradores do entorno como também quem passa pela rua, saindo dos prédios corporativos ou visitando lojas.

 

Nos dois casos, o ambiente foi inspirado em uma tradicional rede francesa. Desenhados sob medida, sofás, poltronas e cadeiras de ferro compõem com as paredes de concreto e muita madeira um espaço moderno e acolhedor, resgatando o conceito da padaria artesanal de antigamente.

O clima amigável e aconchegante “convida” o cliente a ficar mais tempo, seja para saborear os produtos de exímia qualidade com amigos e familiares, seja para trabalhar ou fazer uma descontraída reunião de negócios ­a conectividade (wi-fi, tomadas etc.) foi pensada em todos os detalhes. Para quem tem muita pressa, foi estabelecido nas lojas de passagem o “BenRápido”, serviço que possibilita fazer compras pela rua sem entrar na padaria.

 

Traduzindo: o projeto arquitetônico bem elaborado permite “concretizar” as diferentes possibilidades de negócio vislumbradas pelo cliente, que busca fidelizar o consumidor final e proporcionar uma agradável experiência de compra. Afinal, a Benjamin, a Padaria quer “o seu dia mais gostoso”.

 

Top