Voltar | Home / Mídia / Identidade proprietária: essencial para o sucesso de uma empresa de saúde

Identidade proprietária: essencial para o sucesso de uma empresa de saúde

Identidade proprietária: essencial para o sucesso de uma empresa de saúde

07 de dezembro de 2017

Temperatura agradável. Sofás e poltronas confortáveis. Iluminação aconchegante. Decoração moderna e discreta. Sinalização precisa. Sala de espera organizada. Atendimento atencioso e pontual. Quando o clima é acolhedor e tudo flui de forma harmoniosa num ambiente hospitalar ou de saúde, como laboratórios clínicos e consultórios, as pessoas tendem a ficar tranquilas e à vontade.

 

Sentir-se bem cuidado é primordial para quem busca auxílio médico, se submete a um tratamento ou exame de saúde. E o contrário – móveis desconfortáveis, barulho e luz excessivos, desorganização, falta de pontualidade e atenção, por exemplo – gera uma experiência negativa ao paciente, fazendo com que não volte a frequentar o lugar. E mais: ele vai comentar com outras pessoas comprometendo ainda mais a imagem daquela empresa.

 

Por isso torna-se essencial criar a identidade proprietária, ou seja, que você seja proprietário de uma identidade própria. Determinada pela soma de diferentes recursos, comunica ao mercado e ao público final o objetivo, a missão e os valores de um negócio. E na área da saúde não é diferente: ajuda o cliente a perceber que o hospital, a clínica ou o laboratório sabe o que faz e oferece o seu melhor.

 

Construindo a identidade proprietária

 

O primeiro passo para elaborar a identidade é pedir ao cliente que descreva detalhes de sua prestação de serviço, apontando os próprios pontos fortes e fracos. Depois é preciso observar toda a operação in loco para, em seguida, definir os elementos que identificam aquela marca. Muitas vezes o cliente traz o seu guide book, contendo o logo, a paleta de cores, o branding da empresa e o manual de aplicação da marca. Esse pode, então, ser o ponto de partida para o arquiteto fazer as tonalidades da marca “conversarem” com a arquitetura da empresa, através de elementos como as cores das paredes, com os acabamentos e revestimentos, com o desenho do mobiliário.

 

A partir daí também se desenvolve a comunicação visual e a de sinalização, por meio de placas informativas, faixas ou pegadas indicativas no piso, entre outros recursos, que agilizam o atendimento no ambiente de saúde. Há ainda a possibilidade de usar imagens. É a chamada comunicação look and feel, muitos lugares apostam em fotos de bebês, crianças, famílias etc. Vale citar o Grupo Fleury, cliente da acr arquitetura. Nas paredes das unidades, a árvore do conhecimento é tridimensional e representa seu crescimento por meio da sabedoria e da experiência, isto é, “comunica” sua história e seus valores aos clientes finais.

 

dr. consulta: identidade facilmente reconhecida

 

Quem também exprime claramente a sua “mensagem” é o dr. consulta, cliente da acr arquitetura, que possui uma identidade proprietária forte e clara, mesmo sendo clean e básica. Tudo começa pela vitrine transparente, permitindo que quem caminha pela rua ou pelo hall de um shopping veja tudo o que acontece lá dentro: pode-se observar o espaço e estabelecer o primeiro contato visual de identificação mesmo sem entrar.

 

Tamanha objetividade estimula o transeunte a entrar, conferir de perto o ambiente, checar preços e a forma de pagamento e já agendar seu exame. E tudo é facilmente identificado, porque o arquiteto alinhou e costurou cada detalhe para que o cliente se sinta bem-vindo e seguro para explorar o lugar. O dr. consulta é exemplo de uma rede com unidades padronizadas e com identidade. As cores fortes das cadeiras em contraentes com o branco das paredes, a linha de atendimento, o menu board, as letras grandes, tudo é muito próprio.

 

É comum achar que identidade proprietária é sinônimo de padronização. Esta facilita a identificação por parte do público que ele está em uma rede onde pode contar com a mesma qualidade das outras unidades. As pessoas percebem os mesmos móveis, a mesma iluminação, a mesma rotina, o mesmo processo de atendimento em qualquer unidade de uma rede, sentindo-se seguro. Traduzindo: a padronização é mais um dos recursos que ajudam a definir a identidade proprietária, que, quando bem trabalhada, abarca os cinco sentidos das pessoas, oferecendo-lhes uma agradável experiência.

 

Uma empresa que define sua identidade proprietária sabe o que quer, é bem informada e devolve o seu melhor para o cliente.

 

Top