Voltar | Home / Mídia / Softwares: grandes aliados na criação de um projeto de arquitetura

Softwares: grandes aliados na criação de um projeto de arquitetura

Softwares: grandes aliados na criação de um projeto de arquitetura

29 de agosto de 2018

Há cerca de dez anos quem estava se formando em Arquitetura viveu uma época de transição tecnológica. Muitos dos softwares hoje usados nos escritórios ou não existiam, ou eram rudimentares. E não foram explorados nas salas de aula. Os professores nem deixavam usar o AutoCad – tinha de fazer tudo à mão –, porque insistiam para o aluno aprender a lógica “das coisas” e não ficar refém do software.

 

Atualmente já existe um consenso quanto ao uso de software. O período na faculdade é perfeito para adquirir o máximo de conhecimento e isso inclui os programas de computador. Quanto mais o futuro profissional ou arquiteto recém-formado conhece um software, mais fácil fica para aprender outro e mais preparado estará para o mercado.

 

É preciso se manter atualizado: inovação tornou-se a palavra de ordem. Dependendo do tamanho e da área de atuação de um escritório, usa-se um ou outro software. E, diante de uma equipe enxuta, o profissional muitas vezes trabalha em todas as etapas do projeto e, portanto, precisa conhecer diversos programas. Vale lembrar ainda que é imprescindível saber desenhar à mão livre para expressar as ideias, porém a entrega agora é 100% digital.

 

Programas compatíveis ajudam a prever etapas de um projeto e possíveis desvios

 

Antes de comentar os softwares, vale destacar o Building Information Modeling – BIM, sistema de dados que permite gerenciar diferentes informações ao longo de todo o projeto, como análises, documentação, fabricação, logística de construção, operação e manutenção, renovação e/ou demolição.

 

O melhor é que esse sistema trabalha de forma complementar aos softwares, como o Revit, produto da AutoDesk, que gera o protótipo com todas as informações necessárias, como cálculos e relação de matérias. Com ele fica mais fácil prever todas as etapas e evitar erros de projeto.

 

No passado quem desenhava no papel e aprendeu o AutoCad, nunca mais voltou ao papel. O mesmo acontece com o Revit: quem aprende nunca mais vai querer trabalhar com o AutoCad. O Revit é um programa que projeta em 3 dimensões, enquanto o AutoCad não passa de um simulacro do que se fazia ao desenhar no papel, sempre em 2 dimensões. E mais: no Revit é possível se parametrizar tudo o que desejar e ir muito além do projeto.

 

Há também o Formit, também da AutoDesk. Esse programa, utilizado para modelagem 3D, “conversa” superbem com o Revit, transformando todos os estudos em projetos. Ele surgiu para concorrer com o SketchUp, criado pela Google, que possui duas versões – a versão profissional (PRO) e a versão gratuita (MAKE).

 

Projetos arquitetônicos cada vez mais ricos em detalhes

 

De fácil manipulação, o SketchUp oferece comandos que auxiliam a criar volumes tridimensionais e aplicar medidas, cores, texturas, luzes e sombras. A modelagem realizada se torna ainda mais realista quando passa por uma renderização, obtendo imagens mais precisas do projeto em si.

Para isso, torna-se necessário instalar um puglin V-Ray, programa que gera renders e deve ser instalado dentro de outro programa: o 3D Studio, que está um passo à frente para ajudar o profissional a criar imagens ainda mais facilmente. Não é tão simples manuseá-lo, mas vale a pena investir nessa ferramenta: os resultados ficam incríveis e mais realistas.

 

Softwares específicos: perfeitos para executar projetos com maior precisão

 

Há ainda o Dialux, software de simulação para iluminação artificial, muito utilizado pelos light designers, e o Energy Plus, um dos melhores para simular os sistemas de aquecimento, iluminação e ventilação, de forma a quantificar o consumo de energia dentro de um edifício.

 

Por fim, é interessante investir no Microsoft Project, software de gestão de projetos produzido pela Microsoft em 1985. Nos anos seguintes sofreu profundas mudanças e apresenta recursos relacionados à gerência, como tempo (datas, duração do projeto, calendário de trabalho), gráfico de Gantt – usado para ilustrar o avanço das diferentes etapas de um projeto –, modelo probabilístico (para cálculos relacionados a planejamento), Diagrama da Rede, Custos (fixos, não fixos, outros) e uma gama de relatórios.

 

E prepare-se: neste momento empresas devem estar criando soluções em softwares ainda mais práticas para agilizar o dia a dia de um escritório de arquitetura. A melhor qualidade de um profissional hoje em dia é a habilidade de aprender rápido, seja o que for.

 

Mas lembre-se: não adianta ter acesso a recursos maravilhosos se você não exercitar a criatividade, estudar sempre e observar o outro constantemente.

 

Top